Passados quase 12 meses de uma pandemia, e sem um fim concreto à vista, aos poucos as organizações retomam e resignificam suas práticas de desenvolvimento de pessoas. Ainda que à distância ou em modelos híbridos, é urgente retomarmos a qualidade das interações humanas e seu papel fundamental nos processos de desenvolvimento de indivíduos, grupos e de toda a empresa.

Neste contexto, um programa estruturado de Mentoria pode ser de grande valia. Quando digo estruturado, não me refiro à nada burocrático ou complexo. Trata-se simplesmente de dar alguma estrutura para guiar o processo e investir na preparação e sensibilização de mentores e mentorados.

Aliás, em tempos de “gourmetização” de tudo que existe, é importante relembramos o que é Mentoria: a mentoria é o processo em que pessoas que já vivenciaram determinadas experiências ou possuem determinados conhecimentos, independentemente da idade, cargo ou formação, compartilham seus aprendizados com outras pessoas que estão passando por momentos semelhantes ao que o mentor vivenciou, e que querem uma nova perspectiva daquilo que estão fazendo.

Ou seja, a mentoria é um processo estruturado e orientado para o desenvolvimento profissional e pessoal, que acontece por meio de aconselhamento, apoio e experiência de um mentor. É uma oportunidade única e transformadora. E, acima de tudo, é uma parceria entre Mentor e Mentorado!

Mentoria como Estratégia de DesenvolvimentoE não estamos falando de algo inovador. A palavra mentor surgiu na Grécia Antiga, e era o nome de uma personagem importante da obra Ilíada e Odisseia de Homero. Esta história conta que Odisseu, ao partir para Troia, entregou seu filho Telêmaco aos cuidados e direção de seu confiável amigo Mentor. A partir daí a palavra mentor passou a ser usada para nomear as pessoas que oferecem acompanhamento, suporte, guia, transmissão de conhecimentos e inspiração.

Todos nós em algum momento tivemos uma relação de mentoria na vida: seus pais, um professor, um gestor, um colega de trabalho, um amigo, alguém que você admirava e te apoiou com dicas preciosas e te inspirou na sua jornada. Um dia desses parei para fazer a minha lista de Mentores, e me surpreendi com o número de pessoas que tive próximas a mim ao longo da minha carreira (na primeira como Líder e Executiva de RH e na segunda como Consultora), e que formal ou informalmente contribuíram para meu crescimento pessoal e profissional.

Seja como mentor ou mentorado, o processo de mentoria apresenta-se como uma forma de conexão entre experiências de vida e carreira diferentes, permitindo aberturas que dificilmente seriam realizadas no cotidiano. Podemos dizer que a mentoria é desenhada para formar um círculo de confiança entre Mentor e Mentorado, fomentando a conexão e o compartilhamento de experiências. A relação que se estabelece entre mentor e mentorado é extremamente importante para o sucesso da mentoria.

Para a empresa, vejo pelo menos 6 razões para investir em um Programa de Mentoria:

1. Retém talentos: é um atrativo, pois gera empoderamento do colaborador para gerenciar sua própria carreira, enquanto valoriza as habilidades e conhecimentos de quem vai exercer o papel de Mentor.

2. Fortalece a marca empregadora: ao investir em um programa de mentoria a organização demonstra que valoriza e estimula o desenvolvimento das pessoas, enquanto dá sinais claros de que é um ambiente propício ao crescimento profissional.

3. Promove autoconhecimento e protagonismo: durante a mentoria, os envolvidos têm a oportunidade de mapear pontos fortes e desafios, barreiras e oportunidades, para o momento atual e para os passos futuros, recebendo feedbacks frequentes ao longo da jornada. E cada pessoa é responsável por praticar o que aprende, assumindo compromissos consigo mesma e com a organização

4. Acelera o desenvolvimento: desenvolve em competências importantes para o momento atual e para o futuro, e pode estar conectado à característica que precisem ser reforçadas na empresa, de acordo com os desafios estratégicos dos negócios.

5. Gera relacionamentos e networking interno: através do programa de mentoria é possível construir parcerias internas. Quem participa pode expandir seu próprio contexto, ter oportunidades de exposição, e com isso aumentar seu network para acessar recursos e pessoas diferentes do que acessa em seu dia a dia.

6. Fomenta uma cultura de inovação e diversidade: promove transferência de conhecimento e experiência dentro do ambiente de trabalho. A exposição gerada com o programa expande a visão que os colaboradores possuem da empresa e do negócio, trazendo maior agilidade para a solução de problemas e geração de novas oportunidades na empresa.

MentoriaPara que o Programa de Mentoria seja efetivo, temos dois papéis centrais, que atuam com equivalente importância.

De um lado temos o MENTOR, que provê suporte e oportunidades para o desenvolvimento do seu mentorado, auxiliando-o a enfrentar problemas e desafios que encontra em sua jornada, compartilhando suas vivências e experiência prévia no assunto em questão. Mais do que seus conhecimentos, sua experiência e exemplo contam muito para o processo. O mentor deve procurar deixar o ambiente aberto para que o mentorado se sinta confortável e seguro em expor suas questões.

E, ao lado mentor, temos o MENTORADO, que é aquele que está no centro da mentoria. Se o mentor exerce o papel de guia, o mentorado pratica o seu papel de protagonista da aprendizagem: aquele que ouve e assimila o que foi passado e aplica no seu cotidiano e nas suas próprias metas pessoais e profissionais. Seu papel é o de trazer seus anseios, desafios e dúvidas para a conversa com o mentor, e colocar em prática os conhecimentos adquiridos. De nada adianta o mentor praticar todas as suas responsabilidades, exercendo seu papel de conselheiro e guia, se o mentorado não estiver pronto para praticar o que aprendeu e cumprir os compromissos assumidos.

Mentoria

E na liderança do processo é possível que esteja a área de Recursos Humanos ou afins, responsável por trazer critérios, estruturar o processo e conectar o programa tanto com a Estratégia de Gestão de Pessoas da empresa quanto com a Cultura Organizacional desejada.

Por fim é importante destacar que, mesmo que sua empresa não possua um programa estruturado de mentoria, é possível que relações de mentoria ocorram naturalmente. Afinal todos nós buscamos e temos a oferecer apoio, aconselhamento, conhecimentos e experiência.

Porque não fortalecer as relações de Mentoria e formalizá-las para que atinjam todo seu potencial? Todos ganham com isso!

Fernanda Mendes e Magda Santana

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *