O Poder da Arte

Por que inserir arte em nossas vidas quando já vivemos em um mundo tão cheio de informações, imagens e estímulos? Numa época em que o tempo está escasso até mesmo para fazermos as coisas do dia a dia, onde mal conseguimos tempo para a família, os amigos ou mesmo para nós mesmos? Por que levar a arte para as organizações, onde os segundos produtivos são tão preciosos no universo competitivo dos diversos mercados?

Porque a arte tem, justamente, o poder de nos afastar, de nos retirar deste ciclo interminável de pensamentos do dia a dia. Estes que nos esgotam e roubam nossa criatividade. A arte tem o poder de romper os maus hábitos da mente, a irritabilidade, a impaciência, a falta de empatia, a mesquinharia inconsciente que se instala em nossas emoções quando nos sentimos presos a “roda do hamster”, que gira e gira dentro de nossa cabeça. A arte nos coloca em contato com a nossa intuição, com coisas que não sabíamos que sabíamos, e assim nos sentimos mais felizes e verdadeiros, mais abertos a acolher o próximo e a entender o mundo.

A Arte é Mágica

Sim, e vai além da mágica. A arte estimula o córtex motor, a parte do nosso cérebro que controla os movimentos corporais. Quando olhamos uma obra de arte, não vemos só com os nossos olhos ou percebemos com o nosso cérebro, mas sentimos com o corpo todo. Todas as partes do nosso ser – nossos sentidos, intelecto, emoções e até mesmo nosso corpo físico respondem aos estímulos artísticos.

Pesquisas realizadas em hospitais demonstram que observar pinturas de paisagens reduz o estresse, acelera a recuperação física, após cirurgias, entre outros benefícios nas pessoas que estão passando por tratamentos. “Especialistas médicos dizem que isso pode mudar a fisiologia de uma pessoa, alterar percepções e ter uma influência calmante e curativa…O Museu de Arte Moderna de Nova York oferece um programa mensal gratuito para pacientes com Alzheimer, no qual sua vasta coleção de mestres modernos é usada como uma plataforma para estimulação mental.” (site do museu)

A criação de arte ou o ato de criar envolve todas as partes do cérebro, estimulando nosso sistema neurológico, resultando em diversos benefícios como: alívio da depressão, melhora na coordenação motora, redução do estresse, melhora do sono, do sistema imunológico, redução de ansiedade, e consequentemente melhora da qualidade de vida. Alé do que, sair dos estados de condicionamento mental no cotidiano, para um estado de abertura através da arte, pode ser transformador.

Existe uma profunda conexão entre a criatividade artística e a felicidade interna, e este sentimento individual é o primeiro passo para a melhora das relações humanas, pois a arte desperta o ser humano para três realidades profundamente significativas:

  • a realidade sobre o mundo
  • a realidade sobre as outras pessoas
  • a realidade sobre si mesmo

“A Arte é o meio indispensável para a união do indivíduo com o todo, reflete a infinita capacidade humana para a associação, para a circulação de experiências e ideias. Sua função concerne sempre ao homem total, capacita o eu a identificar-se com a vida dos outros, capacita-o a incorporar a si aquilo que ele não é, mas tem possibilidade de ser. “ (Fischer, 1973)

O reconhecimento destas três realidades, principalmente juntas são um poderoso instrumento para o bem estar e o autodesenvolvimento assim como um despertar para: ouvir o que não é dito, ver o que não está explícito, entender os seus próprios sentimentos e o dos outros.

Maria Lucia Nakid,
Terapeuta artística em Formação, Arquiteta e Parceira da ADIGO DESENVOLVIMENTO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *